Salkantay: chegando em Águas Calientes

13 de julho de 2017

Não precisamos acordar tão cedo, pela primeira vez nessa travessia, ufa! Depois do café da manhã com os cozinheiros do guia Edwin, que contratamos com o Anderson Trekkinho da Nature Adventure, fomos de van até a Tirolesa Vertikal Zip Line, onde dois membros do nosso grupo se divertiram nas 7 linhas bem extensas que tem no parque. Confesso que tenho medo de todas as atividades que me expõem muito, por isso as evito. Esse foi o jeito mais simpático que achei para escrever que sou uma cagona mesmo, hahahaha. Nos despedimos dos cozinheiros, pois seus serviços terminavam aqui. Os gratificamos com gorjeta, o que os deixa muito felizes.

Chegando na Tirolesa

Muito legal o parque, bem estruturado e com muita segurança naquilo que fazem. As 7 linhas que os meninos desceram deram cerca de 2 horas. Para nós foi chato ficar esperando, mas nos divertimos vendo a cara das pessoas atravessando de um lado para o outro do vale, em posições inusitadas. Detalhe: o valor da tirolesa não está incluído nos pacotes de Salkantay.

Chegando na Hidrelétrica

De van fomos até a Hidrelétrica, em Santa Teresa, local onde começaríamos nossa caminhada nos trilhos do trem até Águas Calientes. Almoçamos em um restaurante ao lado dos trilhos e percebemos que haviam muitas pessoas por ali.

Foi neste momento que soubemos que os trens que subiam e desciam de Águas Calientes estavam em greve já a 3 dias. Pior, nossas passagens já estavam compradas e eles não devolveriam o dinheiro. Nossa esperança era que estava previsto só 3 dias de greve, então no dia seguinte (quando voltaríamos de trem), os serviços normalizariam. Acho super justo entrarem de greve para reivindicar seus direitos, mas não devolver o dinheiro do serviço não prestado é sacanagem! Quase U$200!

Nosso plano B, caso os trens não voltassem a funcionar no dia seguinte, seria voltar a pé todo esse trecho que faríamos hoje (e o caminho estava cheio de pessoas voltando pelos trilhos de trem pelo mesmo motivo, a greve). Pior: teríamos que contratar uma van para nos levar até Cusco e pagar a parte! Enfim, rezamos para a greve parar!

O caminho até Águas Calientes é tranquilo, em nível, sempre. Avistamos as montanhas de Machu Picchu lá em cima. Deu para ver até algumas ruínas e alguns terraços de plantação. O único inconveniente foram as pessoas vindo na direção oposta! Como a trilha é estreita e andar no batente do trem é ruim (pois não tem o mesmo compasso da nossa caminhada), esbarramos várias vezes com gente folgada que vem descendo brutamente (deviam estar com raiva da greve). Juro que uma hora não resisti e xinguei umas gringas sem noção. Elas não desviam! E vem pra cima da gente com aquelas mochilas enormes sem educação e respeito. O que era para ter sido uma caminhada na paz, se tornou um inferno!

 

Chegando em Águas Calientes

Em 3 horas chegamos em Águas Calientes e fomos direto para o hotel. O restante do dia era de folga e depois de um merecido banho gostoso, fomos passear pela cidade. A cidade é linda e tem bastante locais para fazer uma boa refeição. Tudo muito limpo e organizado. Gostei muito.

Ficamos de boa na cidade, jantamos em um restaurante sugerido pelo guia (e que estava incluso no nosso pacote). Fomos até um quiosque de vendas de passagens de ônibus e compramos as nossas para subir ao parque Machu Picchu na manhã seguinte. Decidimos subir de ônibus, pois senão teríamos que sair muito cedo do hotel para chegar lá as 6 horas da manhã e pelo caminho estaria ainda tudo escuro. Não veríamos nada. Compramos só a subida, pois decidimos descer a pé, já a luz do dia. Voltamos para o hotel e fomos descansar.

Ingressos para o parque Machu Picchu

Nossos ingressos foram comprados com antecedência pelo guia Edwin. Mas deixa eu tentar esclarecer algumas coisas para você: agora o parque tem dois turnos de visitas e por dia entram 5 mil pessoas. Até antes dessa temporada, o limite de visitas era de 2.500 pessoas por dia que, ao adquirirem os ingressos, podiam ficar o dia todo no parque. Com a nova lei dos turnos devemos escolher na hora de adquirir o ingresso, se queremos visitá-lo pela manhã ou à tarde. De manhã entramos às 6 horas e podíamos ficar até ao meio dia. De tarde entra-se ao meio dia e sai as 17:30h. Por isso devemos chegar no horário, senão os ingressos perdem a validade, sem direito a restituição.

Essa medida foi tomada, segundo o Ministério da Cultura Peruana, para poder aumentar o número de visitantes por dia no parque, já que a demanda vem aumentando. Um antigo estudo determinou que para evitar desgastes nas passarelas, terraços e ruínas, esse número deveria ser no máximo 2.500 visitantes por vez.  Assim, dois turnos alcançariam 5.000 pessoas por dia.

Filosofando sobre essa nova lei

Na minha opinião, essa tirada foi ‘jogo sujo’. Anteriormente, quando uma pessoa comprava um ingresso de dia todo, ela não ficava andando 10 horas sem parar pelo parque. Nós conhecemos todo o parque em 3 horas, tranquilamente. Com dois turnos é óbvio que tudo será mais desgastado: passarelas, ruínas, terraços… Bom, se o valor que pagamos pelo ingresso (que não é pouco) for convertido para a manutenção da cultura e do bem estar do povo peruano, tudo bem. Mas se lá for igual aqui e esse dinheiro não for para o ‘lugar certo’, fico com uma sensação de impotência, indignação e tristeza!

Nesse post do site do Viaje na Viagem tem tudo bem explicadinho sobre a nova lei, que além de implantar os turnos, ainda tem outras proibições e normas que começaram a valer desde 1º de julho deste ano. Vale a pena a leitura.

Tem vlog desse dia:

4 comentários sobre “Salkantay: chegando em Águas Calientes

  1. Noemi Marino

    Já estive nesses lugares nas não fazendo trilha
    Adoraria fazer mas não sei se aguentária.
    Poderia mandar o informações de data preço e se temos que ter alguma preparação pq no tenho nenhumak

  2. Taz

    Nooooossa Carla ainda bem que ja conheci MP, essa nova lei com certeza é exploratoria, e eu qdo fui, sempre dei a dica para todos: dormir 2 noites em Aguas Calientes, subir para MP as 5 da manha, ver o nascer do sol, fazer tudo lentamente pra curtir, subir WP no horario das 10:30 e descer pra ficar ate o fm de tarde em MP, depois das 14hs era uma PAZ, pq ate as 14hs parecia PQ da Disney de tanta gente! … Uma pena agora quem foi e aproveitou… quem não aproveitou…. dançou…. fiquei ate 17:30 desci no ultimo nibus e jantei em AC… no outro dia voltei no trem das 8hs sem stress e ainda curti Olamta!

    1. Admin Autor da Postagem

      Pois é amigo!
      Uma tristeza essa nova lei…
      O que era uma regra para preservar o parque, acabou sendo burlada e agora o parque fica cheio o dia inteiro!
      E a tendência é piorar cada vez mais…
      Mundo cruel!
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *