Casa ribeirinha: entorno do PARNA Tumucumaque

13 de agosto de 2017

Acordamos como sempre cedinho, e após o café da manhã preparado com carinho pelas meninas contratadas pela agência Amapá Ecocamping, fomos fazer a trilha da Cupaíba com o guia Marcelo. Esse foi nosso terceiro dia dessa aventura. (veja o primeiro dia e o segundo).

Trilha da Cupaíba

A trilha fica atrás do alojamento e dura cerca de 1 hora entre ida e volta. Avistamos muitas árvores, alguma centenárias e muita vegetação característica da Floresta Amazônica. Vimos a Cupaíba, Paxiúba, Angelim Pedra, Pequiá, Tauari, entre outras. Também vimos o casco de um jabuti que provavelmente foi devorado por uma onça…

Também vimos ninho de beija flor caído no chão, várias sementes e uma toca de aranha estrategicamente montada no meio da floresta. Passamos por nascentes e igarapés. Também ouvimos o canto de muitos pássaros. Em uma árvore chamada sapopema, batemos com um tronco e o som pode ser ouvido a grandes distâncias, devido ao eco que essas raízes geram. Uma dica de pedido de socorro no meio da floresta.

Depois dessa trilha foi a hora de se despedir do parque. Voltamos para o rio Amapari e descemos cerca de 50 km (4 horas) até a casa de uma família ribeirinha, local onde passaríamos nossa última noite na floresta Amazônica. No meio do trajeto paramos na mata para almoçar.

Ninho de Beija flor encontrado caído no chão

 

Árvore Sapopema

Casco de Jaboti

Toca de aranha

Casa ribeirinha no rio Amapari

Chegamos na casa de praia da nossa cozinheira, onde passaríamos essa noite. Lá mora seu sobrinho com a esposa e um bebê de alguns meses. Eles vivem ali sem luz e água encanada, e a comunidade mais próxima fica a cerca de 15 minutos de barco. É uma vida dura, mas também muito conectada à natureza.

Casa ribeirinha que passamos a noite

 

Nessa casa há uma plataforma que avança nas águas do rio e o banho ali é delicioso. Pena que o sol forte castiga a gente. Ficamos de boa a tarde por ali. Lá pelo final do dia o barqueiro e guarda parque Edmilson nos convidou para ir até o estaleiro de seu pai para buscar a nova embarcação feita por ele ao ICMBio. Fomos buscar e apreciamos a navegação inaugural. Atividade diferente e super legal. No vídeo, ao final dessa postagem, tem um trecho dos meninos colocando o barco na água…

Nova embarcação nas águas do rio Amapari

Fim de tarde

Voltamos a casa ribeirinha e curtimos um lindo pôr do Sol. À noite jantamos uma deliciosa comida caseira regional e fomos dormir em redes, dentro da casa.

Tem vlog desse dia aqui:

Nosso roteiro no Parna Tumucumaque

Dia 1 – Chegando em Serra do Navio e Parna Tumucumaque

Dia 2 – Trilhas e banhos dentro do Parna Tumucumaque

Dia 3 – Casa ribeirinha entorno ao Parna Tumucumaque – esse post

Dia 4 – Serra do Navio (Lagoa Azul) e Macapá

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *