Pico do Papagaio na Travessia Bependi x Aiuruoca

09 de setembro de 2017

Retiro dos Pedros

Acordei cedinho e ao abrir a barraca me deparei com tudo congelado. Que lindo! Tinha deixado minha bota para fora e amanheceu toda coberta de gelo. O Elio teve coragem e saiu antes do sol nascer e subiu o Pico do Bandeira (ponto culminante da Serra do Papagaio, 2.300m) para fotografar.

Nascer do Sol no Pico do Bandeira

Nosso acampamento lá em baixo

Depois do café da manhã (levamos Rap 10, Polenguinho, salame, Achocolatado, aveia e leite em pó) o grupo, formado pelo guia Carlos Moura da Mantiex, foi até o Pico do Papagaio, a 5 km do nosso acampamento no Retiro dos Pedros. Deixamos nosso acampamento e seguimos com as mochilas de ataque.

Pedra do Tamanduá ou Santuário

Já na saída do acampamento, menos de 10 minutos, chegamos na Pedra do Tamanduá ou também conhecido como Santuário. Que lugar lindo! Uma vista privilegiada da região. Há uma história que nos foi contada que a Pedra do Tamanduá e o Pico do Bandeira foram erroneamente nomeados pelo IBGE. Parece que o ponto mais alto deveria chamar Pico ‘do Tamanduá Bandeira’ e não apenas ‘do Bandeira’. Mas ficou assim mesmo!

Vista da Pedra do Tamanduá

Pico do Papagaio a direita ao fundo

Pico do Bandeira a direita

Foram 2 horas e meia sob um céu incrivelmente lindo: azul pincelado por nuvens chamadas ‘rabo de galo’ que me encantam tanto. Esse trecho tem 4 subidas leves à moderadas, curtas e quase todas em platô de rocha (lajeado). Os vales são em campos de altitude abertos, com capim amarelo baixo e algumas florestas pequenas.

Campo de Poejo

A 3 km do acampamento chegamos em um dos trechos mais bonitos desse dia: o Campo de Poejo. Uma área com essas plantas que traz um aroma refrescante no ar. Nesse ponto há a junção da trilha de quem vem do Vale do Matutu para quem deseja somente subir até o Pico do Papagaio. A partir desse trecho a trilha lotou. Várias pessoas, inclusive pessoas da terceira idade, fazendo a subida até o cume.

Pico do Papagaio

Do Campo de Poejo até o cume do Pico do Papagaio são mais 2 km, a maior parte dentro de uma floresta. Trilha bem gostosa, com leves subidas. Na parte final tem uma escalaminhada nas pedras um pouco mais forte, mas nada mais que 5 minutinhos de sufoco. Vale a pena, pois a vista lá de cima é linda! Como o dia estava excelente, pudemos avistar o Parque Nacional do Itatiaia e até a Serra Fina.

Cachoeira do Fundão

Pico do Bandeira

Voltando ao acampamento

A volta foi meia hora mais rápida (como sempre a volta é mais rápida) e o céu não estava mais com as formações de nuvens ‘Rabo de Galo’, mas mesmo assim o visual estava lindo. Eu e o Elio paramos no ponto de água que ficava a 10 minutos do acampamento. Fizemos nossa higiene e bebemos muita água. Todos os pontos de água até o Pico do Papagaio estavam secas e tive que racionar minha água. Sou péssima para fazer isso, pois bebo demais. Fico mal humorada e cansada mais rápido, se não posso beber água a vontade. Foi o único inconveniente nesse maravilhoso dia de trilha.

Pôr do Sol

Fomos ver o pôr do Sol no morro que fica a frente ao Pico do Bandeira. O visual estava incrível! Na minha opinião, é o momento mais lindo do dia! Sempre amei o crepúsculo. Voltamos à barraca, jantamos um delicioso estrogonofe de carne de soja feito pelo guia Eduardo. Mandou bem! Ficamos jogando conversa fora com nossos novos amigos e fomos descansar.

Tem vlog do dia de hoje, confere aí! Esse vídeo tem uma parceria com a Banda Apollo 34 que nos cedeu a música ‘Meu Planeta’. Conheça o trabalho deles aqui.

Nosso roteiro da Travessia Baependi x Aiuruoca

Dia 1 – Cachoeira do Juju a Cachoeira do Charco

Dia 2 – Cachoeira do Charco ao retiro dos Pedros

Dia 3 – Retiro dos Pedros – Pico do Papagaio – Retiro dos Pedros – esse post

Dia 4 – Retiro dos Pedros a Cachoeira dos Garcias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *